Oficina de Empreendedorismo: da análise de mercado ao plano de negócio


No segundo dia da Oficina de Empreendedorismo, 02 de março, Fernando Grisi, eleito um dos 10 melhores profissionais de educação empreendedora no Brasil, lançou o desafio de realizarmos a análise de algum mercado que desejamos atuar para então criar uma oportunidade de negócio. Cada participante desenhou em uma folha e apresentou seus objetivos de vida e seus sonhos para um futuro desejável daqui 10 anos.

É fato que recebemos muita pressão externa, porém, o empreendedor cria algo novo correndo um risco calculado porque ele aprendeu com os erros (uma ideia morre sem uso). Em outras palavras, empreendedorismo é comportamento sobre a vida. O empreendedor não se forma, ele se descobre, uma vez que o administrador cumpre regras e metas; já o estrategista cria tendências e objetivos. Empreendedores potenciais que não sabem identificar o mercado alvo não estão preparados para implementar seus projetos empresariais. Eles apenas tiveram uma idéia, mas não identificaram uma necessidade de mercado.

oficina

Ao desenvolver um plano de negócio em um ambiente competitivo, deve-se levar em consideração as variáveis do setor para se obter um cenário real: política, economia, tecnologia, demografia, natureza, além da questão social e cultural, pois modelos confiáveis e eficientes de inovação, empreendedorismo e desenvolvimento exigem: mentalidade proativa, espírito de adaptação, criatividade e visão de futuro. O “mandamento” da análise de oportunidade de negócio é: Resolva um problema!

A palavra competir vem do grego e significa “estar juntos”, “andar juntos” e surgiu nas Olimpíadas na Grécia Antiga. A competição gera novas metas, novos paradigmas, novos benchmarkings, novos modelos, novas estratégias. A história mostra que onde há competição há progresso, evolução, vida, aprendizado e trocas. Entretanto, quando se fala em competição muitas pessoas reagem como se fosse um mal.

Grisi salientou essa questão de modo que o “outro’ não é e nunca será seu adversário. Seu adversário sempre será você mesmo e quanto melhor for o nível da competição, maior será o nível que teremos que nos enquadrar para permanecer na competição. O Brasil ainda é um dos mercados mais fechados do mundo e foi muito mais em passado recente, o que nos deixou no atraso e sem competitividade, pois nossa cultura é a de não expôr uma ideia com receio de que outra pessoa tenha a habilidade de implantá-la. Segundo Grisi: “O ontem eu não mudo, o hoje eu ajo, o amanhã faço como quiser“.

As conclusões desse segundo encontro foram:

  • Para ser empreendedor eu preciso vivenciar comportamento empreendedor, fazer diferente;
  • Para fazer diferente, eu preciso entender cenários;
  • Se eu entendo cenários, posso criar um futuro desejável; e
  • Se eu posso sonhar, posso realizar.

Em nosso terceiro encontro que ocorreu no último sábado, 23 de março, iniciamos o dia fazendo excercícios de concentração, onde o primeiro teve como objetivo esvaziar a mente e o segundo visou focar em nosso desafio de vida. Tal técnica tem sido bastante utilizada por empresários atualmente. Em seguida, cada participante apresentou em 03 minutos sua análise mercado e a oportunidade de negócio por meio de slides, cujos setores foram bem variados: esporte, comunicação, moda, advocacia, construção civil, reciclagem e contabilidade.

thi e nana

Grisi esclareceu as dúvidas e foi orientando cada participante à medida que iam apresentando suas pesquisas, informando que dentre os fatores-chave para se desenvolver um bom plano de negócio está em saber exatamente que é o seu cliente e qual valor você está agregando à ele. Teremos três semanas para estruturar o plano de negócio e apresentá-lo no último módulo da oficina, a ser realizado no dia 13 de Abril. Contaremos com a presença de investidores que farão parte da banca examinadora junto à Fernando Grisi, os quais avaliarão as oportunidades de negócio apresentadas, farão seu feedback, havendo a possibilidade de investimento na ideia inovadora.

Refletindo…

A jornada empreendedora passa por uma estrada longa, cheia de imprevistos, e aparentemente sem fim.

Mas a recompensa é gratificante e traz sentido ao esforço empreendido. Afinal:

 “A vida é uma oportunidade de ousar”.

Confira em nosso álbum do Picasa outras fotos da 2ª aula clicando aqui e da 3ª aula aqui.

Rotaract Club SP Aliança Lapa

Esse post foi publicado em Aliança Lapa, Débora Moraes, Mariana Gioia, Pedro Prochno, Projetos, Rotaract, Thiago Venceslau e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s